Logotipo Gulin

  • TRABALHO EM TELHADOS E COBERTURAS

 
O objetivo deste informativo técnico é apresentar de forma simples os procedimentos de segurança a serem observados na realização de trabalhos em telhados e coberturas, levando-se em conta que o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) determina que eles devem ser antecedidos de Análise de Risco que estabelecerá seus três itens fundamentais:
 
     A)  Os meios de acesso dos trabalhadores ao posto de trabalho.
     B) O sistema de movimentação do trabalhador na superfície de trabalho.
     C) Os equipamentos de proteção coletiva e individual.
 
 
A) MEIOS DE ACESSO AO POSTO DE TRABALHO

Para acesso dos telhados e coberturas, geralmente é utilizada escada fixa tipo marinheiro que deve obedecer às seguintes exigências do MTE:             
1. A partir de 6m de altura, a escada deve ser provida de gaiola protetora, começando de 2m acima da base até 1m acima da última superfície de trabalho, conforme mostra a figura ao lado.
 
  
2. Para cada lance de 9m de escada, deve existir uma plataforma intermediária de descanso, protegida por guarda-corpo e rodapé.
 
 
3. É obrigatória a instalação de cabo de segurança para conexão do travaqueda.  
 
 
 
 
 
 
 

ORIENTAÇÃO PARA INSTALAR O CABO DE SEGURANÇA NUMA ESCADA TIPO MARINHEIRO

Para segura movimentação do trabalhador da base da escada até a superfície de trabalho, é necessário que o cabo de segurança para conexão do travaqueda seja instalado cerca de, 1,5 m acima da superfície de trabalho, conforme mostra a figura.
Para facilidade do trabalhador acessar a superfície de trabalho, é importante que o cabo de aço não seja posicionado no centro dos degraus. Costuma-se posicionar o cabo de aço próximo ao montante da esquerda, caso os acessos de entrada e saída da escada sejam pela esquerda e próximo ao montante da direita em caso contrário.
 
O cabo de aço deve ser instalado a cerca de 10 cm dos degraus e mantido esticado por meio de um peso de aproximadamente 7 kg ou por um esticador de cabo de aço ajustado com força equivalente.
 
B) SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO NOS TELHADOS E COBERTURAS
 
MTE por meio da NR 18.18.5.1 proíbe a concentração de carga em um mesmo ponto sobre telhado ou cobertura.  
Não podemos esquecer que a maioria das telhas de fibrocimento, plásticas ou de cerâmica não foram projetadas para suportar cargas concentradas. Seus fabricantes advertem para não pisar ou caminhar diretamente sobre elas. Considerando que a maior parte dos acidentes em telhados ocorrem por rompimento mecânico de seus componentes, motivados por concentração excessiva de pessoas ou materiais num mesmo ponto, recomendamos usar nesses locais as Passarelas para Telhado Gulin:  
São indicadas para telhado ou cobertura do tipo plano inclinado (uma água, duas águas ou shed)Em telhados abaulados (em arco) só pode ser usada no sentido transversal das telhas. de fibrocimento, plásticas, de cerâmica ou metálicas finas. 
Uma água Duas águas SHED
 
 Fabricada em duralumínio antiderrapante, substitui com segurança e durabilidade as perigosas tábuas. Colocada sobre telhas onduladas de fibrocimento, apoia-se perfeitamente sobre três ondas. Possibilita melhor distribuição da carga do que as tábuas que só se apoiam sobre duas ondas e ficam instáveis quando pisadas nas bordas. Cada unidade tem comprimento de 250 cm, largura de 42 cm, peso de 13 kg (sem degraus) ou 15 kg (com degraus).

 Tábuas
Apoio Deficiente
 

Passarela para telhado
Boa distribuição de carga


 
A Passarela de Telhado Gulin é colocada diretamente sobre as telhas e unida, sem auxílio de ferramentas, por ferrolhos com trava de segurança. Pode, também, ser usada no sentido transversal das telhas (montada sempre próxima às terças). Em locais com inclinação superior a 25 graus é necessário ter degraus. Com ela, movimenta-se até a 50 graus de inclinação.
   

COLOCAÇÃO DAS PASSARELAS NO TELHADO OU COBERTURA:

 As passarelas possuem a superfície de contato com o telhado lixada para melhor aderência. Dependendo da inclinação do telhado e/ou telhas com superfícies úmidas e escorregadias é recomendável utilizar correntes galvanizadas com elos de 3 mm de diâmetro fixadas na cumeeira e conectadas por mosquetões aos olhais existentes nas passarelas, conforme figura abaixo.
 
Nota: as correntes não devem ser conectadas à linha de vida para não impedir a movimentação dos trabalhadores ao longo delas. 

 

C) EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA E INDIVIDUAL

  
O MTE por meio da NR-18.18 e Anexo II da NR-35 exige:
 
Instalação de Linha de Vida Horizontal em telhados e coberturas para movimentação segura dos trabalhadores obedecendo as exigências da norma NBR 16325-2 e, contendo dimensionamento dos seguintes parâmetros:
 
-   A força de impacto de retenção da queda dos trabalhadores.
-  Os esforços em cada parte do sistema de ancoragem decorrentes da força de impacto      de retenção de queda.
- A zona livre de retenção de queda necessária.
 
Consequentemente, para garantir o atendimento do Anexo II, o responsável pela implantação e gestão da Linha de Vida Horizontal, deve exigir de seu fabricante sua certificação pela norma NBR 16325-2.
 
A Linha de Vida Totalflex Gulin atende à norma NBR 16325-2 com certificação pela alemã TÜV e garante retenção de queda de até 3 usuários simultâneos com valor de carga aplicada na instalação inferior a 750 kgf.
 
Vejamos a apresentação e detalhamento de seu componentes:
 
A linha de vida TOTALFLEX GULIN é um sistema permanente de proteção contra quedas de pessoas que se movimentam em telhados, áreas de carga e beirais.
 
Os usuários com seu cinturão paraquedista e acessórios movimentam-se com total segurança e facilidade ao longo de um cabo de aço, em retas e curvas, de comprimento ilimitado.
 
Tem desempenho estático e dinâmico em conformidade com a norma ABNT NBR 16325-2.
 
O sistema garante retenção de queda de até três usuários simultâneos, em vãos de até 15 metros e limita a força aplicada na instalação a valor inferior a 750 kgf. Única linha de vida que possui dois componentes indicadores, que alertam, por motivos diferentes, que a linha necessita de revisão para poder ser usada.
 

DETALHAMENTO DOS COMPONENTES 

 

ESTICADOR DE CABO DE AÇO TF-100                                                      

Tipo manilha x manilha, forjado, galvanizado, com travas anti-rotacionais para evitar desregulagem acidental da tensão da linha, grande curso de regulagem (30cm), carga de ruptura superior a 4.000kgf.

     

INDICADOR DE TENSÃO TF-200                                                                 
Produzido em aço inox, com janela retangular de inspeção para visualizar o correto ajuste da tensão da linha.

Indicador sem tensão:

Indicador com tensão correta:

    

ABSORVEDOR DE ENERGIA TF-300                                                           

Produzido em aço inox. Em caso de retenção de queda de até 3 trabalhadores simultâneos, limita a força aplicada aos pontos de ancoragem a valor inferior a 750 kgf. 

 

  

SUPORTE INTERMEDIÁRIO TF-400                                                             
Produzido em aço inox, possibilita fácil movimentação do troles TR-5 e TR-6. Os suportes intermediários devem serem instalados a uma distância de, no máximo,  15 metros.

Suporte Intermediário TF-400 Instalado em pilar TF-600

   

KIT DE CURVA TF-500                                                             
Produzido em aço inox, com dimensões conforme especificação de projeto.

Kit de Curva TF-500

Instalado em pilar TF-600


   

PILAR DE ANCORAGEM TF-600                                                             

Produzido em aço galvanizado, para fixação das ancoragens de extremidades ou suportes intermediários em plano horizontal (laje ou cobertura). Carga máxima de trabalho: 1.500 kgf.

  

PLACA  TF-610                                                                                             
Placa de ancoragem para montagem no pilar TF-600. Produzida em aço galvanizado. Carga máxima de trabalho: 1.500 kgf.

Placa de Ancoragem TF-610 Instalada em pilar TF-600 

 
 

  

PLACA TF-620                                                                                              

Placa de ancoragem de extremidade. Produzida em aço inox, para fixação das ancoragens de extremidade, em plano vertical (parede ou coluna). Carga máxima de trabalho: 1.500 kgf.

  

PILAR TF-645                                                                                
Pilar de ancoragem especialmente projetado para montagem em coberturas zipadas por clipes de pressão sem necessidade de furos.
  
TROLE TR-5                                                                                               
Uso obrigatório para perfeita e segura movimentação do usuário na Linha Totalflex Gulin em retas e curvas.Produzido em aço inox. Fornecido com um mosquetão oval com dupla trava de segurança para bloqueio de sua abertura.
  
TROLE TR-6                                                                                               
Uso obrigatório para fácil e segura movimentação em trechos retos dos travaquedas retráteis R-10 e R-20 nos serviços em telhados. Produzido em aço galvanizado, imediata colocação e retirada da linha horizontal por simples acionamento de botão.
Sistema protegido contra abertura acidental por dupla trava de segurança.

Trole TR-6 com travaqueda retrátil

 

CABO DE AÇO COM 8 MM DE DIÂMETRO INOXIDÁVEL OU GALVANIZADO

Formação 7 x 19 (7 pernas com 19 fios), carga de ruptura superior a 4.000 kgf.

 

KIT TF-614                                                                                                            

Kit para montagem de dois olhais composto de duas sapatilhas e 6 grampos tipo pesado em aço galvanizado.

 

MANILHA TF-615                                                                                                            

Produzida em aço galvanizado. Travamento por porca e cupilha com carga de ruptura superior a 4.000 kgf. Para cada linha Totalflex Gulin, utilizam-se 3 manilhas TF-615 para conexão de seus componentes.
  

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

Para o usuário ligar-se à linha de vida por meio do Trole TR-5 é necessário que esteja usando o cinturão paraquedista Gulin-102 com o travaqueda deslizante GA ou GC conectado diretamente às alças frontais.
Para o usuário movimentar-se ao longo da corda do travaqueda (de poliamida com 12 mm de diâmetro) é necessário acionar sua alavanca e mantê-la apertada. Deixando de apertar a alavanca do travaqueda, existe o travamento instantâneo do aparelho em sua corda.

 

NOTAS:

1.    A corda deve ter comprimento suficiente para o usuário fazer toda movimentação necessária.
2.    Por motivo de segurança a ponta da corda deve ter nó ou placa terminal.
3.    O excesso da corda pode ser armazenado em sacola, visando evitar seu arrasto sobre arestas vivas ou superfícies abrasivas.

 

INSTALAÇÃO DA LINHA DE VIDA

A linha de vida Totalflex Gulin é fornecida sem parafusos, prisioneiros ou buchas de fixação à estrutura do local. As especificações técnicas dos meios de fixação da linha de vida à estrutura local devem ser definidas por profissional legalmente habilitado pela instalação e, de acordo com a Lei n° 6.496/77, deverá ter uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) específica.
A linha de vida Totalflex Gulin garante retenção de queda de até três usuários simultâneos em vão de até 15 metros e limita a força aplicada na estrutura a valor inferior a 750 kgf, desde que, sejam obedecidas as seguintes exigências:
 
a)  Componentes obrigatórios para cada linha TOTALFLEX GULIN:
-     Cabo de aço 8 mm de diâmetro, formação 7 x 19, galvanizado ou inoxidável.
-     Esticador de cabo de aço TF-100                        01 peça
-     Indicador de Tensão TF-200                                01 peça
-     Absorvedor de Energia TF-300                           01 peça
-     Suporte Intermediário TF-400                              Em quantidade suficiente, de modo
                                                                                                                           que cada vão não ultrapasse 15 metros.
 
b) Atendimento das recomendações prioritárias, orientações de uso, instalação, inspeção e manutenção para Linha de Vida Horizontal em Cabo de Aço detalhadas em “Produtos Fabricados” deste site.


 

EXEMPLOS DE INSTALAÇÃO DA LINHA DE VIDA TOTALFLEX

1. Instalação em planos verticais

Para instalação em planos verticais (paredes e colunas) são usadas as seguintes placas de ancoragem fabricadas em aço inox:

 

Placa de Ancoragem de Extremidade TF-620

 

 Placa de Ancoragem Intermediária TF-630


 
*Medidas em milímetros 

  

2. Instalação em plano horizontal

 

 

Para fixação em plano horizontal (laje ou cobertura) é utilizado o pilar TF-600, fabricado em aço galvanizado com as seguintes montagens:
*Medidas em milímetros.
Instalação em Concreto Instalação em estruturas com encaixe Instalação em estruturas com contra-chapa  

  

3. Instalação sem furo no telhado

Nas novas coberturas zipadas que começam a ser usadas no exterior onde não é permitido furá-las para fixar os pilares de ancoragem com seus parafusos, a Equipamentos Gulin desenvolveu um sistema de fixação dos pilares da Linha de Vida Totalflex por meio de clipes de pressão. Essa solução já é uma realidade no Brasil, comprovada pela cobertura que está instalada na fábrica da Goodyear de Americana – SP

 

4. Uso dos práticos travaquedas retráteis

A Linha de Vida Totalflex Gulin é o único sistema de segurança para trabalho em telhados e coberturas que permite usar os práticos travaquedas retráteis R-10 e R-20 (com respectivamente 10 e 20 m de cabo de aço) com fácil movimentação ao longo de toda a linha por meio do Trole TR-6.

  

Convite
Agora que V.Sas. já conhecem algumas das soluções de segurança da Equipamentos Gulin para trabalhos em Telhados e Coberturas, o próximo passo para mais detalhes  técnicos seria vossa visita ao nosso Centro de Simuladores com área coberta de 400m²,  onde poderão comprovar o desempenho da Linha de Vida Totalflex e dos demais produtos de nossa fabricação.
Na impossibilidade de nos visitar, propomos elaborar um Estudo Inicial após recebermos as seguintes informações:
 
 
     A.  Planta do telhado: basta um simples croqui com dimensões aproximadas.
     B.  Indicação do posicionamento das cumeeiras ou linhas divisórias de escoamento de            água.
     C.  Indicação dos possíveis pontos de acesso.
 
 
Após o estudo inicial, para a instalação, deverá ser feito um projeto envolvendo, provavelmente, as seguintes ações:
 
     - Visita ao prédio existente para análise das estruturas do telhado, pontos de acesso,           etc.
     - Reuniões técnicas para elaboração do projeto definitivo.


 
 

 
 
 
Alameda Glete, 788 − São Paulo − SP (Próximo ao metrô − estação Santa Cecília) − Fone: 11 3335−5050