Logotipo Gulin

  • TRABALHO EM ÁREAS DE CARGA

 
Em áreas de carga, a Linha de Vida Horizontal Totalflex Gulin é o sistema de proteção contra quedas mais usado no Brasil. Vejamos algumas de suas vantagens:
 
Tem certificado de conformidade n° 15.1174, com a norma NBR 16325-2, exigência do Anexo II da NR-35 do MTE.
 
O Certificado n° 15.1174 foi emitido pela alemã TÜV, acreditada pelo Inmetro e comprova também:
 
1. Que as forças aplicadas nas ancoragens de extremidade, mesmo com a queda de 3 usuários simultâneos, são inferiores a 700 kgf tornando a Linha Totalflex em conformidade com as exigências da NR-18 do MTE, visto que os pontos de ancoragem devem resistir a 1.500 kgf e obedecer ao fator de segurança 2.
 
2. Que em nenhuma situação ensaiada o cabo de aço é submetido a esforço maior que 50 % de sua carga de ruptura, ou seja: o cabo de aço trabalha sempre com o fator de segurança 2.

CONSIDERAÇÕES INICIAIS
 
A) ALTURA DA LINHA HORIZONTAL
Nas áreas de carga, a definição da altura para instalação da Linha de Vida Horizontal é o primeiro parâmetro que deve ser analisado visto que, a resolução n° 210 de 13/11/06 do Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN, no seu artigo primeiro, limita para veículos, com ou sem carga, a altura de, no máximo, 4,40 metros.
Considerando que durante a operação de enlonamento da carga o trabalhador necessita movimentar-se sobre a carga (altura máxima de 4,40 m) costuma-se projetar a instalação das linhas de vida horizontais a uma altura de 7 m do solo.
 
B) ESPAÇAMENTO ENTRE VÃOS
A Linha de vida Totalflex Gulin possui características técnicas comprovadas pelo seu certificado de conformidade, garantindo em vãos de até 15 metros a perfeita mobilidade de até 3 travaquedas retráteis com mínima deflexão do cabo de aço.
 
C) ALERTA: PERIGO DO EFEITO MOLA
Lembramos que nas Linhas de Vida Horizontais em áreas de carga, são usados travaquedas do tipo retrátil e as normas internacionais (por exemplo, a norma europeia BS 8437: 2005, item 9.3.7.7) alertam que o travaqueda retrátil usado em Linha horizontal flexível pode, em situação de retenção de queda, apresentar o efeito mola, ou seja, podem ocorrer rápidos e sucessivos travamentos parciais até a parada final do cabo retrátil e aplicar várias retenções de queda ao usuário que é abaixado um pouco a cada retenção entre saltos e consequentemente, a altura de frenagem fica bastante aumentada.
Os travaquedas retráteis Gulin não apresentam o perigoso efeito mola em linha horizontal flexível.
 
D) ALTURA MÍNIMA DO PLANO DE TRABALHO
A altura mínima do plano de trabalho deve ser suficiente para em caso de retenção de queda, prever deflexão da linha, acréscimo do cabo retrátil do Travaqueda e a distância de segurança. 
 

Sendo:
A = Deflexão da linha = 0,9 m (Valor determinado com a queda da massa de 100 kg, com o travaqueda retrátil Gulin R-10).
B = Acréscimo do cabo retrátil = 0,7 m (Valor de acréscimo do Travaqueda R-10, que não apresenta o efeito mola).
C = Distância de segurança = 1,0 m

 
ÁREA DE CARGA DESCOBERTA
  
Em áreas de carga descobertas, a forma mais rápida e econômica de instalar linha de vida horizontal flexível de comprimento ilimitado é utilizar os postes metálicos TF-640 ou TF-641 com altura de 7 m, lança horizontal de 1,5 m com espaçamento de 15 m.
Os postes TF-640 e TF-641 são de aço circular tubular, galvanizados a fogo, produzidos especialmente para a Equipamentos Gulin, possuem memorial de cálculo e ART específica.
 
Poste com lança
simples: TF-640
     Poste com lança
     dupla: TF-641
 
 
ÁREA DE CARGA COBERTA
 
Lembramos que o MTE determina que os pontos de ancoragem para instalação da Linha de Vida Horizontal devem resistir, no mínimo, a força de 1.500 kgf e obedecer ao fator de segurança de, no mínimo 2. Considerado que a Linha de Vida Totalflex Gulin transmite em caso de retenção de queda, força na instalação inferior a 700 kgf, para atendimento das exigências do MTE, a resistência dos pontos de ancoragem suspensos deve ser de, no mínimo, às forças nas direções da figura abaixo, ou seja:
Pontos intermediários: resistência de 1.500 kgf na vertical.
Pontos de extremidade: resistência de 1.500 kgf na vertical e na horizontal.
 
 
  
 
Solução padrão
Sendo viável instalar a Linha de Vida Horizontal a uma altura de 7 m do solo, adota-se o usual espaçamento entre vãos de 15 m e teremos uma instalação rápida e econômica.
 
Solução alternativa
A Linha de Vida Horizontal Totalflex Gulin pode ser instalada, no mínimo, a 5 m do solo com as seguintes restrições:
 
A) ALTURA MÁXIMA DO PLANO DE TRABALHO
A altura máxima do plano de trabalho deve ser tal que permita que haja pelo menos a distância de 40 cm da cabeça do usuário à linha de vida horizontal, para evitar colisão do seu capacete com o travaqueda.
B) ESPAÇAMENTO ENTRE VÃOS
A linha de vida Totalflex Gulin quando instalada a uma altura inferior a sete metros do solo deve ter o espaçamento entre vãos de nove metros.
 
 
 
LINHA DE VIDA HORIZONTAL EM TRILHO INOX GULIN
 
Visando oferecer uma alternativa de movimentação de carga sem a utilização das empilhadeiras motorizadas, desenvolvemos e patenteamos o sistema de trabalho denominado “LINHA DE VIDA HORIZONTAL EM TRILHO INOX GULIN”, que possibilita integrar numa única linha horizontal suspensa a proteção do trabalhador e a fácil movimentação de carga sem necessidade de motores, conforme figura abaixo:
 
O sistema é constituído das seguintes partes:
1.    Trilho reto em aço inox AISI-304, extrudado, com laterais de 60 mm e base de 40 mm, espessura de 3 mm, comprimento de 2,92 metros, peso de 3,8 kg/m, com grande precisão de medidas e excelente acabamento, possibilitando perfeito acoplamento das partes e total mobilidade dos troles.
 
2.    Trilho curvo em aço inox AISI-304, extrudado, com raio externo de 50 cm. Pode ser fornecido com outras curvaturas. Demais características iguais ao do trilho reto.
 
3.    Trole em aço inox, modelo patenteado “TR-4”, com perfeita mobilidade por meio de 4 rolamentos blindados.
 
4.    Travaqueda retrátil R-10
 
VANTAGENS DO SISTEMA:
1.    Perfeita movimentação do homem e da carga na reta e na curva. O trabalhador desloca uma carga com uma força horizontal de apenas 2% de seu peso. Por exemplo: uma carga de 300 kg é empurrada com uma força horizontal de apenas 6 kg. Durante o deslocamento horizontal, o trabalhador nem percebe a presença do travaqueda retrátil ligado nas suas costas. 
 
2.    Movimentação suspensa da carga elimina dificuldade de movimentação por rodas sobre irregularidades do piso: desnível entre pisos da carroceria do caminhão e armazém, degraus, rampas, etc.
 
3.    O sistema com trilho inox Gulin oferece novas e surpreendentes soluções como, por exemplo: para trabalho no caminhão tanque, é possível o trabalhador sair do depósito já com o travaqueda conectado, movimentando-se até o caminhão, subir com segurança a escada vertical do veículo, movimentando-se sobre o tanque e retornar ao armazém deixando o travaqueda abrigado com total facilidade.

 

 

 
 

 

Alameda Glete, 788 − São Paulo − SP (Próximo ao metrô − estação Santa Cecília) − Fone: 11 3335−5050